Cirurgia robótica: futuro da medicina?

Dr Fernando Tardelli (CRM 116353), urologista e membro do corpo médico da Uroserv fala sobre a cirurgia robótica e seu uso, cada vez mais presente, na medicina. Confira:

1- O que é a cirurgia robótica?
É uma cirurgia na qual o cirurgião opera através de um robô. É considerada uma cirurgia minimamente invasiva pois, como a cirurgia laparoscópica, é realizada por pequenas incisões na pele do paciente e utiliza pinças longas para acessar o órgão alvo a ser operado.

2- Como surgiu a cirurgia robótica?
A ideia de se fazer cirurgia com robôs surgiu nos anos 80, quando os Estados Unidos se empenharam em criar um robô para cirurgias remotas em campos de guerra com o intuito de substituir os médicos por robôs e diminuir as baixas em conflitos. Na década de 90 surgiu a empresa Intuitive Surgical que, com os avanços tecnológicos e da telemedicina, lançou o primeiro robô Da Vinci.

Além disso, nas últimas décadas, procurou-se criar técnicas cirúrgicas que melhorassem os resultados da cirurgia aberta, sendo bem menos invasivas e com melhores resultados. Daí a busca pela laparoscopia e mais recentemente pela cirurgia robótica. Até hoje, mais de 6 milhões de procedimentos robóticos já foram realizados ao redor do mundo.

3- Como funciona uma cirurgia robótica?
Pela primeira vez na história, o cirurgião opera à metros do paciente. O cirurgião fica num console e opera por pinças semelhantes à “joysticks” que reproduzem os seus movimentos nos braços do robô que fica perto do paciente, de uma forma mais delicada, harmônica e estável. O primeiro auxiliar e a instrumentadora ficam em campo, do lado do paciente, para posicionamento (docking) do robô, troca de pinças, auxilio na cirurgia e para dar um primeiro suporte caso haja alguma complicação intra-operatória.

4- Quais são os benefícios da cirurgia robótica?
São muitos! Temos benefícios no intra-operatório e no pós-operatório:

Intra-operatório

-visão 3D em alta definição

-magnificação da imagem (isso permite ver as estruturas mais de perto e ampliadas)

-pinças robóticas têm amplitude de movimentação e rotação muito maiores que a mão humana (maior facilidade para suturas em cirurgias reconstrutivas)

-ausência de tremor (permite movimentos mais estáveis)

-ergonomia melhor do cirurgião (opera-se numa posição bem mais confortável para o cirurgião; importante em cirurgias de longa duração)

-sistema de segurança em cada movimento do cirurgião (caso haja um movimento inadvertido do cirurgião, as pinças travam, impedindo complicações ao paciente)

-caso o cirurgião retire o rosto do monitor, isto é, não esteja visualizando o campo cirúrgico, as pinças também travam

-sistema de fluorescência FireFly (permite observar a isquemia ou revascularização de um determinado órgão antes ou após o seu clampeamento)

-permite treinar um cirurgião mais novo enquanto se opera (a qualquer momento o preceptor do caso pode intervir na cirurgia para um melhor desfecho)

-escalonamento de movimentos (dado um movimento realizado pelo cirurgião no console, pôde-se escolher a amplitude do mesmo movimento feito pelo robô dentro do campo cirúrgico)

Pós-operatório

-menos sangramento

-menos dor

-menor uso de analgésicos

-alta hospitalar mais precoce

-recuperação mais rápida do paciente

-retorno mais rápido do paciente às suas atividades

5- Qual são as diferenças da cirurgia robótica, em relação à laparoscópica?
Na realidade, a cirurgia robótica é uma cirurgia laparoscópica, mas realizada com a plataforma robótica, que permite ter a visão 3D em alta definição e magnificada do órgão operado, diferente da 2D da laparoscopia, na qual pode-se somente aproximar ou afastar a câmera das estruturas. Com isso, vê-se muito melhor a profundidade e consequentemente faz-se dissecções com mais segurança. Além disso, a movimentação e rotação das pinças robóticas são muito mais amplas, além de retirar os tremores da mão humana, proporcionando muito mais facilidade principalmente em cirurgias reconstrutivas. Somado à isso, o cirurgião realiza a cirurgia numa posição mais confortável (sentado) que a laparoscópica, característica fundamental para cirurgias com tempo prolongado. Sem duvida, a tecnologia robótica trouxe grandes avanços à laparoscopia tradicional.

6- Quais especialidades cirúrgicas se beneficiam com a cirurgia robótica?
A oncologia, ginecologia, urologia, cirurgia torácica, cirurgia geral, cirurgia do aparelho digestivo e cirurgia bariátrica se beneficiam diretamente da cirurgia robótica.

7- Como o cirurgião deve fazer para se certificar na cirurgia robótica da sua especialidade?
São 3 etapas que compõem o treinamento para cirurgia robótica. A primeira parte é estudar a técnica e realizar uma prova online no próprio site da empresa Intuitive Surgical (fabricante do robô). Precisa-se de uma nota mínima de 80% para passar para a próxima fase. A segunda etapa é treinar nos simuladores robóticos por um mínimo de horas necessárias para se adquirir habilidade e destreza nesse tipo de cirurgia. Deve-se assistir alguns casos de cirurgia robótica com o Proctor da especialidade (cirurgião que já é certificado e que tem muitos casos já operados, podendo fazer a preceptoria de um cirurgião iniciante na robótica). Por último, realizar um curso intensivo em cirurgia robótica, de 2 dias, para somente depois ser certificado e poder operar com o robô Da Vinci. Esse curso é realizado em vários países do mundo. No Brasil pôde-se fazer no Rio de Janeiro e em São Paulo. Após a certificação, as primeiras cirurgias são realizadas com o auxílio do Proctor de cada especialidade, até o cirurgião em treinamento operar com segurança.

9- Qual novidade na robótica teremos num futuro próximo?
Já está sendo lançado nos Estados Unidos um novo robô Da Vinci, é o modelo SP. Com ele, poderão ser realizadas cirurgias através de um único orifício para a cavidade, o que chamamos de técnica Single-Port. As pinças que farão a cirurgia são multi-articuladas e entram por esse único portal e conseguirão realizar a cirurgia sem a necessidade de outras punções. Acredito que num futuro próximo já teremos esse modelo em alguns hospitais do Brasil.

 

O corpo médico da Uroserv já está capacitado e vem estudando e se atualizando sobre as mais modernas técnicas para garantir o melhor atendimento aos seus pacientes.

Para agendar sua consulta ligue no: 11 4800-8900

Comments are closed.