A pieloplastia é utilizada para a correção cirúrgica das obstruções ou estenoses da região onde termina o rim e começa o ureter, que chamamos de Junção Uretero-piélica (JUP). Este processo patológico consiste no estreitamento da junção da pelve renal com o ureter.

As causas desta condição podem ser congênitas ou adquiridas por processos infecciosos ou inflamatórios. Se não corrigida a estenose de JUP pode levar à lesão renal pelo processo obstrutivo com eventual perda da função renal.

Os sintomas decorrentes da estenose de JUP são semelhantes aos casos de cólica renal. Uma queixa recorrente é a dor lombar do lado da estenose de JUP que surge quando o paciente ingere muito líquido.

O tratamento desta entidade patológica sempre envolveu o emprego de técnicas cirúrgicas. Ela pode ser aberta ou endoscópica. No entanto, os resultados da cirurgia aberta sempre suplantaram as taxas de cura obtidas com as técnicas endoscópicas.

Com o advento das cirurgias laparoscópicas foi possível obtermos os mesmos resultados da cirurgia aberta, porém com o emprego de um procedimento minimamente invasivo. A abordagem laparoscópica para a correção das estenoses de JUP é semelhante às abordagens para cirurgia laparoscópica renal, ou seja, empregamos 3 ou 4 portais de acesso com o paciente deitado de lado.

Após a cirurgia os pacientes ficam internados por 2 ou 3 dias e a seguir tem alta hospitalar. As vantagens da pieloplastia laparoscópica são as mesmas da nefrectomia laparoscópica. Ou seja, incisões menores, menos dor pós-operatória e recuperação mais rápida para o trabalho e lazer.

Comments are closed.