A nefrectomia consiste na retirada cirúrgica do rim. À exemplo da prostatectomia, ela pode ser realizada para patologias benignas e malignas.

As principais indicações para nefrectomia por videolaparoscopia são:

Patologias benignas: atrofias renais (rins diminuídos de tamanho), hidronefroses (dilatações renais) e rins que perderam a função. Em geral estes processos são causados por doenças inflamatórias, infecciosas ou por cálculos renais.

Patologias malignas: tumores renais. Os tumores renais são processos neoplásicos de natureza maligna. Estes tumores podem causar dor abdominal, sensação de massa palpável na barriga ou sangramento na urina. Atualmente muitos pacientes são diagnosticados com tumores pequenos e sem sintoma algum. Em geral estes pacientes realizam exames por outras causas como para avaliar uma gastrite, por exemplo. Nestes casos a ultrassonografia ou a tomografia identificam estes tumores.

Nos casos de doença localizada a nefrectomia pode curar o indivíduo e pode ser realizada por via videolaparoscópica.

É importante ressaltar que existe um limite para indicação e realização de nefrectomia laparoscópica em pacientes portadores de tumores renais malignos. Este limite é o tamanho do tumor. Quanto maior o tumor menor é a chance de realizar cirurgia videolaparoscópica. Caso o tumor esteja acometendo ou muito perto dos vasos que nutrem o rim (hilo renal), também deve-se analisar os riscos da cirurgia laparoscópica.

Em casos de tumores pequenos (<4 cm) é possível a realização de nefrectomia parcial laparoscópica, dependendo da localização e características do tumor, ou seja, remove-se apenas o tumor preservando o restante do rim.

Obviamente, estes casos devem ser bastante selecionados.

A cirurgia é realizada com o paciente deitado de lado, sendo necessários 3 ou 4 incisões ou portais para o acesso ao rim.

A primeira nefrectomia laparoscópica foi realizada nos Estados Unidos em 1990. A partir daí, esta técnica foi progressivamente sendo aceita e incorporada na rotina dos grandes centros urológicos do mundo.

Após a cirurgia o paciente fica internado e pode ter alta hospitalar após 2 ou 3 dias.

A principal vantagem da nefrectomia laparoscópica é sem dúvida em relação à incisão que é pequena. Na cirurgia aberta, a incisão é realizada na parte lateral do corpo e tem como característica a ocorrência de dor de forte intensidade no pós-operatório. Além disso, como esta incisão atravessa planos musculares está associada com ocorrência de hérnias e flacidez no local da incisão trazendo bastante desconforto ao paciente. Com o emprego da técnica laparoscópica é possível obter cicatrizes menores e menos dolorosas, sem os inconvenientes das cirurgias abertas.

Comments are closed.